CATEGORIA

Ruy Ohtake fala de Brasília e de arquitetura social 

Foto: Karina Santiago/TCU.

 

“A grande manifestação da cultura brasileira: Plano Piloto de Brasília, como cidade e como arquitetura” foi o tema de palestra do arquiteto Ruy Ohtake em Brasília, no dia 6 de junho, a convite do Centro Cultural do Tribunal de Contas da União (TCU), em parceria com o CAU/BR. 

 

“Brasília deve ser vista com orgulho por todo povo brasileiro. Planejada e fundada na fase mais rica da história cultural do país, é a cidade mais criativa que o mundo conheceu”, afirmou ele, descrevendo detalhes do Plano Piloto projetado por Lucio Costa e das edificações concebidas por Oscar Niemeyer. “O plano urbano desenhado por Lucio Costa é, ao mesmo tempo, simples em traços e rico em conceito”.

 

Oscar Niemeyer, disse ele, é um exemplo para os jovens estudantes de arquitetura presentes ao evento. “Vocês não devem trabalhar com medo, mas convictos do que estão prazendo. Surpreenderem tanto quanto possível. E não temerem polêmica, que faz parte da evolução da arte e da arquitetura”. 

 

Foto: Karina Santiago/TCU.

 

Respondendo a perguntas do auditório, Ruy Ohtake também falou sobre seu trabalho na comunidade de Heliópolis, em São Paulo, surgida da maior favela da cidade.  Ele projetou para o local um condomínio com edifícios de quatro pisos em forma cilíndrica (chamados “redondinhos”). Os edifícios – coloridos, como é a marca dos projetos do arquiteto – estão posicionados na periferia do lote; no centro ficam playground, quadra esportiva e um espaço de uso comunitário. 

 

“Quando atua em programas sociais, o arquiteto tem que assumir duas atitudes: como técnico e como cidadão. É fundamental conversar com a comunidade, sentir o que os moradores pensam, não se fechar em um escritório para projetar de forma isolada”. O resultado disso, segundo o arquiteto, é dar dignidade às  pessoas da comunidade, coisa que não ocorreu na maior parte dos conjuntos do programa Minha Casa, Minha Vida. “Foi um desastre. Parece uma plantação de alface, tudo igual. Apenas as empreiteiras ficaram satisfeitas, pois foram contratadas para fazer os projetos e as obras numa empreitada só”. 

O evento contou com a presença do presidente do CAU/BR, Luciano Guimarães, e do ex-presidente, Haroldo Pinheiro, além de diversos conselheiros federais presentes na cidade para reuniões de Comissões.

 

Da esquerda para a direita: o ex-presidente do CAU/BR, Haroldo Pinheiro, o arquiteto e urbanista Ruy Ohtake e presidente do CAU/BR, Luciano Guimarães. Foto: Karina Santiago/TCU.

 

MAIS SOBRE: CATEGORIA

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

ATENDIMENTO E SERVIÇOS

Central de Atendimento do CAU/BR não funcionará na Sexta-feira Santa

ACERVOS

Seminário TOPOS:  CAU/BR e FAU/UnB promovem debate sobre a importância de acervos e arquivos de urbanismo no país 

#MulherEspecialCAU

“Arquiteta, na solidão da sua profissão, seu nome pede valorização!”, defende Tainã Dorea

Assistência Técnica

Mais médicos/Mais arquitetos: mais saúde para o Brasil (artigo de Nadia Somekh no portal do Estadão)

Pular para o conteúdo