COMISSÕES

Seminário do CAU Brasil em Cuiabá promoveu amplo debate sobre ética e reserva técnica

 

A ética e a valorização profissional de arquitetos e urbanistas estiveram em discussão na cidade de Cuiabá (MT), onde acontece o 22º Seminário Regional da Comissão de Ética do CAU Brasil. Conselheiros do CAU Brasil e dos CAU/UF, arquitetos e urbanistas do setor privado, lojistas, fornecedores e demais especialistas discutiram a “Ética no Exercício Profissional e a Reserva Técnica”.

 

“Pretendemos, de forma transparente e sem julgamentos, fazer um diagnóstico de como esse assunto está sendo tratado no dia a dia dos arquitetos, nos CAU/UF, e entre os fornecedores”, o coordenador da Comissão de Ética do CAU Brasil, Fabrício Santos. Segundo ele, a questão-chave é o apoio aos arquitetos e urbanistas para que eles consigam oferecer seus serviços da melhor maneira possível, com qualidade e com ética.

 

“O problema talvez não seja a reserva técnica. Precisamos buscar aquilo que vai valorizar o nosso trabalho técnico”, afirmou. Para a coordenadora da Comissão de Ética e Displina do CAU/MT, Vanessa Koehler, esse é um assunto de suma importância para a profissão. “Mas nos últimos anos, vem sendo varrido para debaixo do tapete”, disse.

 

 

PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE
“Como é um tema muito sensível, contamos com a participação de todos para que a gente consiga dar um rumo para esse assunto que causa aflições e conflitos na prática profissional”, afirmou o conselheiro do CAU Brasil Matozalém Santana. “Essa resposta precisa ser dada pelo CAU, por meio da Comissão de Ética, mas queremos ouvir a posição de todos vocês.”

 

O presidente do CAU/MT, André Nör, também reconheceu que esse é um assunto delicado para o exercício profissional. “Vamos iniciar esse debate com muito equilíbrio e sabedoria, com o objetivo de valorizar a nossa profissão”, disse.

 

Na primeira palestra do evento, o assessor jurídico do CAU Brasil, Eduardo Paes, esclareceu as diferenças entre condutas proibidas por lei e as infrações éticas, regulamentadas pelo CAU. “Não é porque não fere a lei que a conduta é ética. Nós temos que analisar se a reserva técnica atende aos princípios do decoro, da imparcialidade, da lealdade ao cliente, sempre do ponto de vista ético”, afirmou. Veja aqui a apresentação. 

 

 

CONCEITOS E HISTÓRIA
Depois, o conselheiro Matozalém Santana apresentou um histórico das ações do CAU Brasil e dos CAU/UF em relação à reserva técnica. Mostrou como a norma atual foi construída dentro do Código de Ética, as campanhas de conscientização, os processos ético-disciplinares julgados nos CAU/UF e ações do Ministério Público e do Instituto de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon). Confira a apresentação. 

 

Segundo Matozalém, os fornecedores e lojistas conseguiram encontrar meios de promover parcerias com arquitetos e urbanistas para a venda de produtos e serviços aos clientes. “Todos os artifícios possíveis foram criados para tentar desviar as tentativas do CAU, do Procon e do Ministério Público. Não se consegue caracterizar nem a ilegalidade nem a falta ética”, explicou.

 

O arquiteto e urbanista Napoleão Ferreira, ex-conselheiro do CAU Brasil e um dos autores do Código de Ética e Disciplina, fez uma apresentação sobre “Ética Profissional, Razão e Tradição”. Segundo ele, os problemas de conduta ética na profissão não podem ser considerados fora do contexto das contradições sociais mais amplas. Veja aqui. 

 

 

MERCADO DE TRABALHO
“O debate sobre a interdição da reserva técnica precisa estar contextualizado no adverso mercado de trabalho e remuneração da atividade profissional”, afirmou Napoleão. “Convém discutir alternativas que superem a crescente desvalorização da Arquitetura e Urbanismo, e, por consequência, do poder aquisitivo médio dos arquitetos e urbanistas.”

 

Na terceira parte do evento, foi a vez dos arquitetos e urbanistas, lojistas e fornecedores oferecerem suas constribuições ao debate. A partir de sua experiência profissional, os arquitetos e urbanistas Karen Matsumoto, Carolina Fagundes, Eduardo Garcia, Ana Carolina Gori e Luciana Duarte contaram como atuam na relação entre fornecedores e clientes.

 

Lojistas, fornecedores e representantes de associações comerciais também puderam apresentar as suas visões e perspectivas sobre o tema. Estiveram presentes os empresários Zilda e Tania Zompero, Fernanda De Lamonica, Neide Alves Dos Santos, Sare Cristina Geiss e Luciana Bigolin, além da publicitária Cynthia Costamila.

 

Confira a íntegra do primeiro dia do evento:

 

 

 

Nesta sexta-feira, os participantes vão se promover dinâmicas de grupos para discutir encaminhamentos para o 23º Seminário Regional em Porto Alegre, nos dias 16 e 17 de novembro. Na ocasião serão construídas as ferramentas necessárias para uma nova proposta sobre a “reserva técnica”, a ser apresentada ao Plenário do CAU Brasil.

 

Clique aqui para saber mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

EVENTOS

Patrícia Sarquis Herden é presença confirmada no 3º Fórum Mundial Niemeyer 

ÉTICA E DISCIPLINA

CAU/BR promove treinamento técnico para membros da Comissão de Ética e Disciplina

EVENTOS

Inscrições abertas para o Fórum Urbano Mundial

EVENTOS

World Architecture Festival (WAF) recebe inscrições com desconto até 28 de março

Pular para o conteúdo