ARQUITETURA SOCIAL

Seminário Melhorias Habitacionais: Plataformas tecnológicas conectam arquitetos(as) e urbanistas, profissionais de obras e moradores

 

No Seminário Melhorias Habitacionais – Da Saúde do Habitat à Economia Popular, empreendedores, ativistas sociais e representantes governamentais se reuniram para discutir soluções inovadoras e tecnológicas para enfrentar o desafio da inadequação habitacional no Brasil. Durante a Mesa Redonda 2: Plataformas Tecnológicas, Cooperação e Controle de Finalidade, novas experiências mostraram como as tecnologias da informação podem conectar agentes sociais, coletivos profissionais e o poder público.

 

Segundo o Ministério das Cidades, a inadequação de moradias afeta cerca de 26 milhões de domicílios urbanos, sendo que 12 milhões apresentam problemas estruturais. A coordenadora-geral de Projetos Especiais do Ministério das Cidades, Laura Rennó, mostrou os projetos de melhorias habitacionais que devem fazer parte do programa Minha Casa Minha Vida. 

 

“Estamos construindo uma parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para a criação de um aplicativo com acesso aos sistemas CAU e CONFEA”, disse. “A tecnologia será fundamental para o sucesso desse programa”.

 

Segundo ela, o aplicativo servirá para o acompanhamento ágil e leve das ações, fornecendo autonomia aos profissionais e beneficiários. Além disso, os conselhos serão parceiros na sensibilização necessária para o sucesso desse tipo de trabalho. 

 

“Já existem inúmeras experiências bem-sucedidas na área de melhorias habitacionais para fazer esse tipo de serviço ganhar escala e ser ampliado para todo o Brasil”, disse.

 

Coordenadora-Geral de Projetos Especiais do Ministério das Cidades, Laura Rennó

 

TECNOLOGIA & GESTÃO

Outra experiência apresentada durante o seminário foi a do Programa Vivenda, apresentado por Fernando Assad. A Vivenda se define como um negócio de impacto com a missão de estruturar o mercado de reformas habitacionais nas periferias do Brasil. 

 

Para tanto, foi desenvolvido um aplicativo que conecta assessoria técnica, executores de obras, comércio de materiais de construção e famílias beneficiadas por financiamentos, dá transparência ao processo e meios de monitoramento de suas etapas. 

 

“Nesses 10 anos do Vivenda, passamos por várias fases: executor de obras, comércio varejista, banco financiador…”, contou Fernando. “Depois de 3.000 obras de melhorias habitacionais, hoje nos consideramos uma plataforma de gerenciamento de melhorias habitacionais”.

 

O aplicativo cria pacotes de reforma padronizados, define regras de elegibilidade de beneficiários (como localização, renda e condições de financiamento) e credencia parceiros executores. “Neste mercado com margens de lucro muito pequenas, a eficiência do sistema é essencial para o sucesso das ações”, afirmou.

 

Fernando Assad, do Programa Vivenda

 

MOBILIZAÇÃO POPULAR

Por fim, o desenvolvedor Gabriel Simeone, representante do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), apresentou a plataforma Contrate Quem Luta. Objetivo é conectar quem precisa de reformas com quem precisa do trabalho. “Projetamos essa plataforma para aproveitar o capital político do MTST. Nós temos uma imensa capacidade de organização e relações de confiança construídas na luta”, disse.

 

Diferente de um aplicativo convencional, o MTST opera dentro do WhatsApp, uma vez que os usuários não têm memória suficiente no celular para baixar um aplicativo.

 

A plataforma utiliza inteligência artificial para interpretar os textos enviados, determinar a localização e o tipo de serviço solicitado, e encaminhar o pedido para os trabalhadores. Vale ressaltar que o MTST não cobra taxas dos usuários, seguindo seus princípios de não operar com dinheiro dos trabalhadores. 

 

Ferramenta já está sendo utilizada em um caso de melhorias habitacionais realizado pela assessoria técnica PEABIRU em São Paulo, garantindo mão de obra qualificada no processo de melhorias

habitacionais.

 

Veja a programação completa do Seminário Melhorias Habitacionais – Da Saúde do Habitat à Economia Popular

MAIS SOBRE: ARQUITETURA SOCIAL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

ARQUITETURA SOCIAL

Arquitetura Rural: CAU Brasil vai promover acordo de cooperação com o INCRA

ARQUITETURA SOCIAL

Seminário de Melhorias Habitacionais do IPEA destaca projetos de moradia digna patrocinados pelo Edital de ATHIS do CAU Brasil

ARQUITETURA SOCIAL

CAU e IPEA abrem Seminário “Melhorias Habitacionais da Saúde do Habitat à Economia Popular” em Brasília

ARQUITETURA SOCIAL

Seminário de Reforma Urbana encerra com audiência pública realizada no Congresso Nacional

Pular para o conteúdo