CATEGORIA

Skalgubbra: escalas humanas legitimamente brasileiras

 

 

 

Que arquiteto e urbanista nunca passou horas escolhendo as melhores escalas humanas a serem inseridas na imagem após o render ter ficado pronto? Apesar de aparentemente fácil e singela, essa tarefa esconde algumas questões primordiais do projeto: como se trata (ainda) de uma proposta, devemos comunicá-la (também) através de imagens, e nelas depositamos algumas intensões e expectativas, entre as quais o público que nosso projeto vai atender.

 

Há páginas na internet que disponibilizam imagens de escalas humanas já recortadas, o que agiliza muito essa etapa de representação, porém, em geral esses sites são estrangeiros e disponibilizam imagens de pessoas de seus países. Talvez o mais famoso seja o sueco SKALGUBBAR, com centenas de escalas suecas prontas para ilustrar nossos projetos.

 

Há também a versão latina – Escalallatina – que disponibiliza imagens recortadas de “escalas humanas de um mundo em desenvolvimento”. Algo mais próximo de nossa realidade, sem dúvida, mas elas ainda não são brasileiras…

 

Pensando nisso, o coletivo Micrópolis criou o repositório SKALGUBBRA, segundo eles próprios, “baseado no site sueco Skalgubbar, porém em um contexto mais brasileiro.” São centenas de escalas de todas as partes do Brasil – que mostram uma realidade bastante heterogênea – prontas para serem inseridas em suas imagens. Clique aqui e acesse a página.

 

 

Publicado em 03/02/2015. Fonte: Asbea/Archdaily – Romullo Baratto.

 

MAIS SOBRE: CATEGORIA

3 respostas

  1. MUITÍSSIMO OBRIGADA, AGORA O PROJETO GANHARÁ MAIS REALIDADE!

  2. Achei muitíssimo interessante e gostaria de receber este material.
    Obrigada

Os comentários estão desabilitados.

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

ATENDIMENTO E SERVIÇOS

Central de Atendimento do CAU/BR não funcionará na Sexta-feira Santa

ACERVOS

Seminário TOPOS:  CAU/BR e FAU/UnB promovem debate sobre a importância de acervos e arquivos de urbanismo no país 

#MulherEspecialCAU

“Arquiteta, na solidão da sua profissão, seu nome pede valorização!”, defende Tainã Dorea

Assistência Técnica

Mais médicos/Mais arquitetos: mais saúde para o Brasil (artigo de Nadia Somekh no portal do Estadão)

Pular para o conteúdo