ARQUITETOS EM DESTAQUE

Tebas, arquiteto paulista escravizado, é homenageado pelo Google

O homenageado pelo Doodle do Google desta terça-feira (30), foi Joaquim Pinto de Oliveira, conhecido como Tebas, o negro escravizado que marcou a Arquitetura de São Paulo. O Doodle é uma alteração temporária no logotipo do Google para comemorar eventos ou figuras histórias notáveis.  “Obrigado, Tebas, por superar todos os obstáculos para estabelecer o plano para um futuro melhor!” foi a frase que acompanhou a homenagem ao arquiteto, que só foi reconhecido mais de 200 anos após sua morte, em 2018, Sindicato dos Arquitetos e Urbanistas no Estado de São Paulo (SASP).

 

Doodle do Google em homenagem a Tebas, negro escravizado que marcou a arquitetura de São Paulo.

 

Nascido em Santos, em São Paulo, em 1721 e falecido em 1811, Tebas foi escravizado até os 57 anos, quando conseguiu sua alforria. Por ter sido escravo de um arquiteto e construtor português Bento de Oliveira Lima, Joaquim Pinto tornou-se especialista na arte e na técnica de talhar e aparelhar pedras, o que impactou de forma decisiva a arquitetura de São Paulo. Tebas era requisitado principalmente para construções de ordem religiosa e ornamentação de igrejas. O arquiteto executou a ornamentação da antiga igreja do Mosteiro de São Bento,  Igreja da Ordem Terceira do Carmo e a Igreja das Chagas do Seráfico Pai São Francisco. Além desses, Tebas foi responsável pela reforma completa da primeira torre original da antiga Catedral de São Paulo (1778), demolida em 1911, e pela a construção do primeiro chafariz público da capital paulista, o Chafariz da Misericórdia, retirada em 1886.

 

Tebas – Um negro arquiteto na São Paulo escravocrata

 

Livro “Tebas – Um negro arquiteto na São Paulo escravocrata”

 

Publicado pelo Instituto para o Desenho Avançado (IDEA) por meio de parceria de fomento com o CAU/SP, o livro aborda a vida e a obra de Joaquim Pinto de Oliveira, escravizado durante a maior parte de sua vida e apelidado de Tebas pelo moradores da cidade de São Paulo do século XVIII. Destacou-se pelo talento para talhar pedras e foi responsável por diversas fachadas construídas na época, como o Chafariz da Misericórdia, na região central da capital paulista. O objetivo é indicar caminhos para a ampliação do conhecimento sobre esse personagem “esquecido na metrópole de concreto”, conforme as palavras do arquiteto Carlos Lemos.

 

Clique aqui e acesse a íntegra o livro

2 respostas

  1. Bom dia…
    Onde posso comprar este livro “Tebas – Um negro arquiteto na São Paulo escravocrata”.
    Aguardo retorno.
    Silvia

Os comentários estão desabilitados.

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Projeto brasiliense ganha destaque Internacional no Prêmio ArchDaily Edifício do Ano 2024

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Arquiteto Washington Fajardo vai atuar na Divisão de Habitação e Desenvolvimento Urbano do BID

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Arquitetura Modernista: New York Times indica Brasília como um dos melhores lugares para visitar 2024

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Conheça os profissionais premiados pelo CAU Brasil no Dia do Arquiteto e Urbanista 2023

Pular para o conteúdo