CATEGORIA

UIA2020RIO apresenta programação do Congresso Mundial de Arquitetos

A programação do 27º Congresso Mundial de Arquitetos (UIA2020RIO) foi lançada nesta terça-feira, 27 de agosto, em cerimônia na Casa Firjan. O evento reuniu autoridades do governo, da diplomacia e representantes de entidades de arquitetura e urbanismo, com destaque para o governador do Estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel; o Secretário Municipal de Turismo do Rio de Janeiro, Paulo Jobim Filho; os presidentes do CAU/BR, Luciano Guimarães, do IAB-RJ, Pedro da Luz, da Firjan, Eduardo Eugênio, anfitrião do evento; membros do Comitê Executivo da UIA 2020, como Sérgio Magalhães e Luiz Fernando Janot, entre outros nomes representativos da arquitetura e urbanismo.

 

O congresso começa nos primeiros segundos de 2020, com o Réveillon da Praia de Copacabana. Atividades preparatórias, com foco nos quatro eixos temáticos do evento (Diversidade e Mistura; Fragilidades e Desigualdades; Mudanças e Emergências; Transitoriedade e Fluxos) seguirão por todo o país até junho. Estão programados mais de 80 eventos, entre exposições e debates. A abertura do UIA2020RIO será no Maracanãzinho, no dia 19 de julho. Antes, a cidade do Rio de Janeiro receberá ainda o Fórum Mundial de Cidades, que reunirá prefeitos e lideranças das 28 cidades que sediaram o Congresso Mundial de Arquitetos.

 

O objetivo do Congresso, que acontecerá de 19 a 23 de julho do ano que vem, é discutir o futuro das cidades para uma sociedade mais justa e sustentável. Por conta do evento, o Rio de Janeiro se tornará, em 1º de janeiro, Capital Mundial da Arquitetura, um título inédito concedido pela UNESCO e pela UIA.

 

Clique aqui para conferir a programação

 

O presidente do Comitê Executivo do UIA2020RIO, o arquiteto e urbanista Sérgio Magalhães, destacou três grandes legados do congresso: a troca experiências, como é característico dos congressos profissionais; a promoção de transformações urbanas para melhorar as cidades; e a construção de uma agenda propositiva a partir de uma reflexão ampla e democrática. “Arquitetura é a casa e a cidade. É a complexa obra de arte e a simples construção”, afirmou Magalhães.

 

“A arquitetura é a casa e a cidade, é a complexa obra de arte e a simples construção. O Congresso é dos arquitetos, mas é também da sociedade, porque todos têm responsabilidade sobre o espaço construído. Será no Rio, mas é do Brasil, porque precisamos pensar o que se quer para as metrópoles do país. O Congresso é para o mundo, para refletirmos sobre meios de superar desigualdades e segregação” disse o  presidente do Comitê Executivo do UIA2020RIO.

 

Wilson Witzel, governador do estado do Rio de Janeiro. Foto: UIA2020Rio

 

Durante o lançamento, o governador do Estado, Wilson Witzel, anunciou o Programa Comunidade Cidade, que destinará R$ 1,5 bilhão para a urbanização das comunidades da Rocinha e do Vidigal e o Instituto Rio Metrópole, que reunirá o governador e prefeitos de 22 cidades, para enfrentar a desordem urbana e implementar políticas conjuntas de mobilidade e saneamento, com foco na urbanização integrada da Região Metropolitana do Rio.

 

Já o Secretário Municipal de Turismo do Rio de Janeiro, Paulo Jobim Filho, disse que o Congresso é uma extraordinária oportunidade de atrair a atenção dos outros estados brasileiros e do turismo internacional para a beleza do Rio, terra que a todos acolhe. “O turismo, como diz o governador, é o novo petróleo. É a vocação natural da cidade. Entretanto, temos potencial muito maior. Além da natureza extraordinária das nossas praias, montanhas, o Rio tem um legado arquitetônico que perpassa cinco séculos, começa no Brasil colonial e vai até o moderno. Atenção para esse evento que vai significar consequentemente o sucesso da nossa cidade, do nosso estado”, declarou.

 

O presidente da Firjan, Eduardo Eugênio, lembrou que a candidatura do Rio para sediar o Congresso teve concorrentes de peso, como Paris (França) e Melbourne (Austrália) e ressaltou a importância da inovação para encontrar soluções dinâmicas para as cidades. Ele propôs, ainda, a valorização da obra do paisagista Roberto Burle Marx, cujo sítio, em Barra de Guaratiba, é candidato a Patrimônio Cultural da Humanidade.

 

O físico e curador do Museu do Amanhã, Luiz Alberto de Oliveira, também participou da cerimônia. “A cidade é a maior invenção do homem. E qual a métrica para essa afirmação? São todas as invenções decorrentes dela”, observou. “Hoje temos, como os meios de transporte, as bases materiais para uma cultura verdadeiramente cosmopolita, para acessarmos o legado de inumeráveis culturas. O planeta vai caber em Vila Isabel”, afirmou, fazendo referência ao seu bairro de origem. Oliveira também apontou preocupação com o impacto da ação humana no planeta e afirmou que vamos precisar de um processo de produção que gere menos resíduos. “Vocês, arquitetos, vão ter que esverdear as cidades”, provocou.

 

Para o presidente do CAU/BR, Luciano Guimarães, os 170 mil profissionais registrados no CAU estão prontos para dar sua contribuir para o êxito da programação e citou a “Carta do Rio”, elaborada na II Conferência Nacional de Arquitetura e Urbanismo, promovida pelo Conselho. “Há muitos amanhãs possíveis. A escolha é hoje”, afirmou. O CAU/BR, assim como o CAU/RJ, a FNA e a Prefeitura do Rio são parceiros institucionais do UIA2020Rio.

 

Clique aqui para acessar o pronunciamento do presidente do CAU/BR

 

Programação do Congresso inclui prêmios e atividades culturais em 2020

 

O presidente do Comitê Executivo do UIA2020RIO, o arquiteto e urbanista Sérgio Magalhães. Foto: UIA2020RIO

 

O 27º Congresso Mundial da UIA será anunciado durante o Revéillon de Copacabana. “A programação começa com o primeiro minuto de 2020. Em parceria com a prefeitura do Rio, foi estabelecida a programação da Capital Mundial da Arquitetura, que vai ser anunciada para mais de 2 milhões e meio de pessoas na praia”, explicou o arquiteto e urbanista João Pedro Backheuser. “O UIA2020RIO não é uma conversa de arquiteto para arquiteto, queremos que chegue na sociedade. É preciso que todos entendam que a produção da cidade é parte de cada um de nós”, afirmou Backheuser.

 

Pouco depois do Revéillon, o desfile das escolas de samba e os blocos de rua vão levar o tema da arquitetura e a discussão sobre cidades para o Carnaval, a maior festa popular do Rio. A Unidos da Tijuca, por exemplo, levará para a Marquês de Sapucaí o enredo ‘‘Arquitetura e Urbanismo: Onde moram os sonhos’’.

 

Até julho, serão realizados vários eventos preparatórios no Brasil e no mundo. Esses encontros terão debates específicos sobre os quatro eixos temáticos do Congresso: Diversidade e Mistura; Fragilidades e Desigualdades; Mudanças e Emergências; Transitoriedade e Fluxos. Paralelamente, serão tratadas questões como: tecnologia, saneamento, infraestrutura urbana, sustentabilidade, eficiência energética, mobilidade, assistência técnica, materiais e processos construtivos, patrimônio, assentamento populares e a questão metropolitana. Dessas discussões sairão os temas do UIA2020RIO.

 

Foram abertas nesta terça-feira as inscrições para dois concursos ligados ao evento. O primeiro, em nível internacional, se destina a estudantes de Arquitetura das maiores universidades do mundo, pensando em soluções aplicáveis ao Rio de Janeiro. O segundo é voltado para trabalhos acadêmicos produzidos no Brasil. Os vencedores
serão conhecidos durante o Congresso, em julho de 2020. Haverá ainda premiações para jovens arquitetos.

 

Na véspera do evento, nos dias 17 e 18 de julho, acontecerá o Fórum Mundial das Cidades, que reunirá os 28 prefeitos das cidades que já sediaram o Congresso. No dia 19 de julho, a abertura do evento será realizada no Maracanãzinho. O UIA2020RIO acontecerá na Região Portuária (nos armazéns 3, 4, e 5). Nos armazéns do “Kobra” e no 6, ocorrerá a Feira UIA2020Expo, com mais de 10 mil m² de área para feira de negócios, materiais, serviços, tecnologia, startups; e o UIA Plaza, espaço de exposição para os países membros da UIA. O Palácio Gustavo Capanema e o Museu de Arte Moderna serão outras subsedes do Congresso.

 

A expectativa é de participação de mais de 20 mil pessoas nos cinco dias, com eventos, palestras, seminários e workshops totalmente dedicados ao tema da cidade. A programação contará com 6 palestrantes especiais; 2 arch-talks, palestras rápidas de 15 a 20 minutos; 12 painéis sobre os temas do congresso; 25 sessões com temas transversais; 650 apresentações de papers e projetos; seminários UIA e Seminários CAU; congressos dentro do Congresso, como o de saúde urbana; além de workshops e seminários de estudantes e tours pela cidade do Rio.

 

São esperados mais de 150 palestrantes. Alguns deles já anunciados, como Diébédo Francis Kéré, Solano Benitez, Carla Juaçaba, Vinicius Andrade, Elisabete França, Marcelo Ferraz, Maria Alice Rezende, MV Bill, Elizabeth de Portzamparc, Anne Lacaton, Eliana Souza.

 

Backheuser apresentou, ainda, os objetivos do Congresso, que incluem: ser um palco global para debate sobre as cidades; reconhecer os desafios e propor estratégias; avaliar experiências inovadoras; dialogar com a sociedade; fomentar o empreendedorismo criativo; facilitar o intercâmbio entre os países; promover a sinergia entre as diversas expressões artísticas; promover o Rio de Janeiro e o país; e debater os 17 objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU.

 

Na véspera do evento a UIA também realizará a UIA Summer School. “A ideia é unir os temas do Congresso do Rio e de Copenhague (próximo destino do evento, na Dinamarca), com o tema ‘O espaço público como gerador de futuro sustentável’”, explicou o arquiteto e urbanista.

 

O Congresso promoverá o Concurso Internacional de Ideias para estudantes de arquitetura e urbanismo; e a Mostra e Prêmio Nacional Todos os Mundos. Um só Mundo. Arquitetura 21. Mais informações no site da UIA.

 

Fonte: CAU/RJ

MAIS SOBRE: CATEGORIA

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

CATEGORIA

Fórum de Presidentes do CAU/BR cumpre extensa pauta em Belo Horizonte (MG)

ATENDIMENTO E SERVIÇOS

Central de Atendimento do CAU/BR não funcionará na Sexta-feira Santa

ACERVOS

Seminário TOPOS:  CAU/BR e FAU/UnB promovem debate sobre a importância de acervos e arquivos de urbanismo no país 

#MulherEspecialCAU

“Arquiteta, na solidão da sua profissão, seu nome pede valorização!”, defende Tainã Dorea

Pular para o conteúdo