CATEGORIA

Congresso Pan-Americano premia Mirna Lobo por trabalho no CAU/BR

 

img_68221
Mirna Lobo, ex-gerente geral do CAU/BR, recebe o prêmio do presidente da FPAA, João Virmond Suplicy

 

O XXV Congresso Pan-Americano de Arquitetos premiou a arquiteta e urbanista brasileira Mirna Cortopassi Lobo pelo seu trabalho desenvolvido na criação do CAU. O Prêmio Arquiteto em Função Pública é um dos dez distribuídos pela Federação Pan-Americana de Arquitetos (FPAA), que congrega 32 associações de arquitetos e urbanistas de todas as Américas. Neste Congresso, reconheceu-se a inovação e qualidade do sistema tecnológico implementado pelo CAU/BR para atender os mais de 140.000 profissionais ativos no Brasil.

 

Mirna Lobo foi a responsável por elaborar e implementar o modelo de gestão e a base tecnológica de informação utilizadas pelo CAU desde que a instituição foi criada, em 2011. De 2011 a 2015, ela exerceu no CAU/BR as funções de gerente-geral, assessora especial da Presidência e gerente do Centro de Serviços Compartilhados (CSC), quando ajudou a criar e a implementar as seguintes inovações:

 

  • SICCAU – Sistema de Informação e Comunicação do CAU, por meio do qual os profissionais registram RRT, retiram certidões, fazem denúncias e requisitam boletos de pagamento.
  • IGEO – Sistema de Inteligência Geográfica, que integra as informações do CAU com mapas georreferenciados
  • Carteira Profissional com certificação digital
  • MobiArq – Aplicativo para celulares que registra contribuições feitas por arquitetos e urbanistas
  • Sistema integrado de finanças e contabilidade do CAU/BR e dos CAU/UF
  • Matriz de Mobilidade e do Exercício Profissional – Sistema que analisa atuação dos profissionais formados, a partir de sua instituição de ensino.
  • Censo dos Arquitetos
  • Eleições realizadas via internet dentre outras ações.

 

img_68231
Mirna Cortopassi Lobo e o presidente do CAU/BR, Haroldo Pinheiro

 

“Quando fui para o CAU, adotamos sistemas integrados, uniformes para uso nacional, abrangendo desde sistemas gerenciais e o auto atendimento aos arquitetos e o acompanhamento financeiro, para que desde o primeiro centavo que entrasse na conta do CAU de origem e fosse contabilizado da forma correta. Um sistema aberto, que pudesse incorporar todas as regulamentações da lei e funcionasse em todo o país, para não permitir discrepâncias regionais”, conta Mirna. “Quando a lei de criação do CAU foi promulgada, já comecei a me preocupar com a questão da informação. No conselho anterior, as informações era compartimentadas e despadronizadas, tínhamos dificuldades de saber quantos profissionais atuavam no Brasil, e as regras para emissão de ART e certificados eram muito diferentes de estado para estado”. Seu primeiro desafio foi realizar a primeira eleição do CAU, já totalmente online. O sucesso foi que mais de 70% dos arquitetos votaram. Hoje as regras são uniformes, e temos a possibilidade de obter informações confiáveis e holística sobre a nossa profissão e o exercício profissional.

 

Sua larga experiência profissional abrange quase todas as áreas de atuação de arquitetos e urbanistas. É autora de mais de 100 projetos de edifícios, dirige duas empresas (Tese Tecnologia em Sistemas Espaciais Ltda e Mirna Cortopassi Lobo Arquitetura Ltda), é conselheira superior do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), realizou dezenas de planejamentos urbanos e regionais (como consultora e gestora pública) e lecionou durante 25 anos na Universidade Federal do Paraná, onde alcançou o topo da carreira, como professora titular, tendo sido também pró-reitora da instituição. Atualmente, presta consultoria ao CAU no desenvolvimento de novas tecnologias e serviços e assessora o Colegiado de Governança do Centro de Serviços Compartilhados do CAU.

 

“A colega Mirna reúne conhecimentos teóricos e práticos de Arquitetura e Urbanismo raramente encontrados simultaneamente em um único profissional: em seu escritório, atua com a mesma competência nas escalas do edifício e dos planos urbanos e regionais; na Universidade, foi professora conceituada e administradora competente; na administração pública, participou com destaque em instituições de planejamento urbano referenciais; e na organização de nossa profissão, tem participado há muitos anos das decisões do Conselho Superior do IAB”, diz o presidente do CAU/BR, Haroldo Pinheiro. “Quando a convidei para participar da equipe que implantou o CAU, sua aceitação foi fundamental para a definição do modelo de Conselho que decidimos implantar. E o reconhecimento pela FPAA, com a concessão da medalha de Arquiteta na Função Pública, é justo e nos alegra a todos do CAU/BR.”

 

Publicado em 28/11/2016

MAIS SOBRE: CATEGORIA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

CATEGORIA

Conferência das Cidades: espaço para discutir a implementação da política urbana para todo o país 

ATENDIMENTO E SERVIÇOS

Central de Atendimento do CAU/BR não funcionará na Sexta-feira Santa

ACERVOS

Seminário TOPOS:  CAU/BR e FAU/UnB promovem debate sobre a importância de acervos e arquivos de urbanismo no país 

#MulherEspecialCAU

“Arquiteta, na solidão da sua profissão, seu nome pede valorização!”, defende Tainã Dorea

Pular para o conteúdo